Lavou a alma! Paul McCartney, #OutThere, Allianz Parque, #Sampa, 25/11/2014.

Foto: MARCOS HERMES / divulgação
Foto: MARCOS HERMES / divulgação

poster

“Oito dias por semana”, eu.. você… nós esperamos por este show. Tão ou mais esperado que a chuva que, enfim, desabou sobre “Sampa” e o moderno estádio do Palmeiras, que Paul McCartney ajudou a “batizar”, menos de uma semana depois da partida inaugural, em que o time da casa perdeu para o Sport Recife, por 2×0. É o Allianz Parque, mistura do nome da empresa que comprou os “naming rights” da mais nova arena do país e Parque Antarctica, nome original da praça de esportes que já foi chamada também de estádio Palestra Itália e já foi tema até de “graphic novel”. Local onde nomes como Legião Urbana, Metallica e Iron Maiden já deram show, além da duas versões da divinas Academias alviverdes e do esquadrão dos tempos em que o Palmeiras era patrocinado pela Parmalat. Tomara que muitos outros shows lotem esse estádio – e os outros da “Sampa” visitada novamente por McCartney.

Quatro anos, três dias e 45 minutos (tempo do atraso) depois do último show na grande metrópole, dias depois de “pocar” no Espírito Santo e de arrebentar no Rio e em Brasília, o ex-beatle abriu a noite com “Eight Days a Week” (LP, k7, CD “Beatles for Sale”, 1964). Quase Beatlemania na pista do Parque.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ainda antes de começar a conversar com os “paulistas” e demais moradores de “Sampa”, Paul McCartney e sua excelente banda emendaram o rock and roll “Save Us”, do “New” – disco novo, que é bem bom.

Mais uma dos rapazes de Liverpool? “All My Loving”, sucesso desde que “With the Beatles” foi lançado, em 1963!

IMG_20141123_160629Na sequência, veio a balada “Listen to What the Man Said”, single da época do “Venus and Mars”, LP dos Wings que foi relançado há pouco – achei um vinil nacional zero bala numa loja de discos que sobrevive em Higienópolis.

Que riff de guitarra tem “Let me Roll With It”, rockão do clássico “Band on the Run“, hein? E o som do órgão Hammond? Como há algumas turnês, rola uma homenagem ao pai da matéria, Jimi Hendrix! \m/

Dos tempos dos Beatles, Paul McCartney resgata “Paperback Writer“, que tem rolado nas últimas turnês.DSC06131

“My Valentine” (CD “Kisses on the Bottom”, 2012) é dedicada à atual mulher, Nancy Shevell.

O gramado do Parque quase vira uma pista de dança com a suingada  “1985“, outra música sensacional do discão “Band on the Run“. Espetacular.

Do “Let It Be” (último disco de estúdio lançado pelos Beatles, 1970), vem o single “Long and Winding Road“.

Ingresso-p1Depois da balada beatle, vem uma do começo da bem-sucedida carreira solo de Paul: “Maybe I’ m Amazed”, (LP/CD “McCartney”, 1970) dedicada à Linda McCartney, a fotógrafa que deu a maior força pro cara depois do divórcio da banda- e até tocou nos Wings.

Se “1985” transformou em pista de dança a arena, ela quase vira festival country com “I’ve Just Seen a Face” (‘Help’, 1965), pelo lindo arranjo nos show de Macca. Pena que é tão curtinha.

E assim, outra parceria Lennon/McCartney de sucesso, “We Can Work It Out”, vem antes de uma raridade dos Wings: “Another Day”. Joinha de pop rock! E de um sucesso de cinema dos reis do iê iê iê, “I Love Her” (“A Hard Day’s Night”, 1964)

Um problema que incomodou até quem estava no setor mais perto do cantor: o palco não era muito alto. Isso pode ser sanado nos próximos eventos da arena. Mas num momento do show, ergue-se uma parte do palco e lá de cima, McCartney comanda “Blackbird”, do clássico álbum branco. Como sempre, a emotiva “Here Today” é para o parceiro e amigo, John.

Tem uma dobradinha do disco novo – as boas “New” e “Queenie Eye” – antes de outro single beatle: “Lady Madonna”. Paul dedica “All Together Now” à molecada. O palco vira uma festa, em cima dele e na frente e dos lados, todo mundo parece se divertir.DSC06153

Da safra “Sgt. Pepper’s”, a psicodélica presença de “Lady Madonna” agrada ao beatlemaníaco ao lado. A quarta e última canção do disco novo é “Everybody Out There”.

Foto: MARCOS HERMES / divulgação
“Everybody Out There”. Foto: MARCOS HERMES / divulgação

Paul e sua ótima banda mandam então uma sequência de clássicos dos Beatles: “Eleanor Rigby” (do discão “Revolver” – quando até o Abe Laboriel Jr, o batera simpaticão, vai pra frente do palco participar do coro), “Being for the Benefit of Mr. Kite!” (outra da era Sargento Pimenta), “Something”… George Harrison, o autor da lindíssima composição, é mais um dos homenageados da noite. De todas as noites. Ele merece.

Com o ukelele, Paul começa a homenagem a George.
Com o ukelele, Paul começa a homenagem a George.

E “Ob-la-di Ob-la-da” tem aquela energia boa que a torcedora palmeirense do meu lado deseja que permaneça no seu estádio novo. Então, o tricolor pede um pouco mais dos Wings, vai!?! “Band on the Run“! Paul ‘fez’ várias vezes nas mãos o símbolo da sua banda dos anos 70.

“Back in the USSR” (dos discão branco) tinge o palco de vermelho …DSC06160

… o Allianz Parque tem um momento “Let It Be” com os celulares acesos por todas as arquibancadas/cadeiras.

Momento Let It Be.
Momento Let It Be.

“Live and Let Die” é aquela apoteose roqueira dos Wings à la James Bond, com show de luz e explosões (não à toa foi regravada pelos Guns…)

… e fechando a primeira parte, “Hey Jude” é o ponto alto de participação da galera.

O primeiro bis começa com outra rifferama dos Beatles. “Day Tripper“. Tem mais rock’n’roll dos Wings, “Hi Hi Hi”, (single que sucedeu “Live and Let Die”). Dos tempos de “Please Please Me” e muita beatlemania, vem a saborosa “I Saw Her Standing There“.

O segundo bis, já avançando na madrugada desta superquarta de shows e futebol, começa com Paul ao violão, acompanhado apenas pelo tecladista Paul Vickens: “Yesterday”. Delicadeza seguida pela música que é um autêntico heavy metal gravado pelos Beatles: “Helter Skelter”.

O ‘Álbum Branco’ é a sala de parto do heavy metal”, define o jornalista Tonico Duarte, responsável pela coluna de Nelson Motta no Jornal da Globo.

DSC06182
A primeira de (tomara!) muitas noites de rock no novo Parque termina com o parte do medley do “Abbey Road”: “Golden Slumbers” + “Carry That Weight“. The end.

A vontade é de ver o show novamente no dia seguinte. Sorte de quem pode acompanhar todos os shows no Brasil.

O cara que inspirou de Ozzy Osbourne aos Ramones é o maior músico de rock vivo. Carisma, atitude, melodia, talento para compor. Esse cara tem tudo isso e muito mais. Um senhor repertório. A mágica turnê continua.

Taca le PAUL!Jpeg

Paul McCartney também vai cantar no Rio, em novembro.

Atualizado em outubro de 2014
Paulgetsbackouttherebrazil_1014_Homepage
Paul McCartney volta ao Brasil em novembro/2014 para mais 5 shows de sua turnê Out There,

  1. O primeiro no Espírito Santo, no estádio Kléber Andrade, em 10 de novembro.
  2. O segundo show, o último a ser anunciado, será o primeiro de Macca no Brasil num ginásio: 12 de novembro, HSBC Arena, no Rio. Ingressos aqui.
  3. O segundo no estádio Mané Garrincha, em Brasília, no dia 23.
  4. E enfim, Macca faz os dois primeiros megashows na moderníssima arena Allianz Parque, o novo estádio do Palmeiras, erguido pela W Torre no lugar do velho Palestra Itália (Parque Antarctica, que era a praça de esportes mais antiga do Brasil – sua história foi contada nesta bela graphic novel). O do dia 25 tá praticamente esgotado. Vai rolar um segundo show, em 26 de novembro. Na internet, há ingressos para cadeira inferior. Veja o mapa aqui.

Continuar lendo “Paul McCartney também vai cantar no Rio, em novembro.”

Paul McCartney vai fazer um segundo show no Allianz Parque, o novo estádio do Palmeiras.

Atualizado em outubro de 2014
Paulgetsbackouttherebrazil_1014_Homepage
Paul McCartney volta ao Brasil em novembro/2014 para mais 3 quatro shows de sua turnê Out There,

  1. O primeiro no Espírito Santo, no estádio Kléber Andrade, em 10 de novembro.
  2. O segundo show, o último a ser anunciado, será o primeiro de Macca no Brasil num ginásio: 12 de novembro, HSBC, no Rio. Ingressos aqui.
  3. O segundo no Mané Garrincha, em Brasília, no dia 23.
  4. E enfim, Macca faz os primeiros megashows na moderníssima arena Allianz Parque, o novo estádio do Palmeiras, erguido pela W Torre no lugar do velho Palestra Itália (Parque Antarctica, que era a praça de esportes mais antiga do Brasil – sua história foi contada nesta bela graphic novel). O do dia 25 tá praticamente esgotado. Vai rolar um segundo show, em 26 de novembro. Ingressos aqui. Veja o mapa aqui.

Continuar lendo “Paul McCartney vai fazer um segundo show no Allianz Parque, o novo estádio do Palmeiras.”

Destacado

Blu-Ray: Submarino Amarelo

http://www.thebeatles.com/
http://www.thebeatles.com/

Os Blue Meanies odeiam música e declaram guerra a Pepperland, um paraíso musical. Missão para John, Paul, George e Ringo! Se o roteiro de Yellow Submarine (de George Dunning, Apple Films, 1968) não é lá essas coisas, o banho de técnicas de animação e claro, o poder das canções dos Beatles tornam este longa-metragem um clássico dos filmes de rock e da psicodelia. É mágico, nos seus 87 minutos.

O artista alemão Heinz Edelmann, que assinou a direção de arte (nunca tinha feito cinema e, a certa altura, quis desistir do projeto) imaginou o longa como uma série de curtas conectados entre si. Realmente, é difícil escolher qual a animação mais legal entre os “números” musicais:

  • Eleanor Rigby
  • All Together Now
  • When I´m Sixty-Four
  • Only a Northern Song (de George Harrison)
  • Nowhere Man
  • Lucy In The Sky With Diamonds
  • Sgt. Pepper´s Lonely Hearts Club Band, um convite pra dançar.
  • All You Need is Love – um “clip” sensacional”
  • Hey Bulldog, divertido!
  • It´s All Too Much, de George Harrison

Continuar lendo “Blu-Ray: Submarino Amarelo”

Destacado

Vem aí um filme sobre os Beatles ‘na estrada’.

Publicado em agosto de 2014

Boa nova. Nos próximos anos, devemos ter um filme inédito sobre os Beatles. O diretor Ron Howard vai fazer um documentário para a Apple – a empresa que cuida dos interesses de McCartney, Ringo Starr e das víúvas de Lennon e George Harrison- sobre os primeiros anos de estrada dos quatro rapazes de Liverpool. Estrada, literalmente. O objetivo é mostrar e discutir o furacão Beatlemania, nos anos em que a banda excursionou. Do Cavern Club ao estádio Candlestick Park, na bela San Francisco, CA, onde a banda fez seu último show público, em 29 de agosto de 1966.

A propósito, Paul McCartney vai fazer agora em 14 de agosto, o último concerto em Candlestick Park. O estádio vai ser demolido. Mais um!OutThereTourPage_87

Os produtores do doc de Ron Howard estão em fase de levantar fotos, filmes, gravações de áudio, memorabilia – enfim, todo material sobre os 166 shows dos Beatles.

Saiba mais:

 

Continuar lendo “Vem aí um filme sobre os Beatles ‘na estrada’.”

Os convidados do Grammy

logo
Entrega de prêmio costuma ser meio chata, mas a lista de atrações do Grammy desta noite não é de se jogar fora, muito pelo contrário.
Saca só: Nine Inch Nails, Queens of the Stone Age, Dave Grohl, Lindsey Buckingham (no encerramento), Gary Clark Jr, Metallica com o pianista Lang Lang, a canja de Stevie Wonder no sucesso do Daft Punk, com Nile Rodgers, Pharrell Williams e os músicos que participaram do #discão RAM…. e a grande expectativa: um reecontro de Paul McCartney e Ringo Starr. Será mesmo? Não perca, daqui a pouco, 23h, no canal TNT ou no site do Grammy. Continuar lendo “Os convidados do Grammy”