Iron Maiden, Rock in Rio, 11/1/1985

Trinta anos do primeiro show do Iron Maiden na América do Sul!

Fut Pop Clube

No meio da insana World Slavery Tour, a excursão promocional do discão Powerslave, o Iron Maiden fez um bate e volta rapidez para o primeiro Rock in Rio. Saiu dos EUA no inverno, tocou em pleno verão na Cidade Maravilhosa em 11 de janeiro de 1985 e voltou para os EUA em seguida. Entre o Whitesnake e o Queen, headliner da primeira noite do festival, a Donzela de Ferro fez um espetáculo para ficar na memória dos fãs sul-americanos presentes. Cerca de 50 minutos do showzão histórico fazem parte  do DVD Live After Death, que o grupo lançou oficialmente com vários bônus, para combater a pirataria. 300 mil pessoas viram o grupo no auge, após uma pá de grandes discos. No documentário History of Iron Maiden – Part 2, um desses bônus, Steve Harris confirma que foi o maior público que já viu a banda. No DVD, estão…

Ver o post original 383 mais palavras

Iron Maiden relança clássicos em vinil: os oito primeiros álbuns e 19 compactos da Donzela de Ferro.


Trinta anos esta noite. O aniversário do “Powerslave, um dos melhores discos do Iron Maiden, é um bom gancho para postar esta bela notícia, que saiu no finzinho de agosto. O “Powerslave”  e mais sete álbuns clássicos do Maiden vão ser relançados em vinil lá fora, a partir de 13 de outubro (selo Parlophone no Reino Unido e gravadora BMG/INgrooves Music Group nos EUA) – uns 2 anos depois que esses 8 primeiros discos saíram em primorosas edições picture-disc . Dessa vez, são edições com vinil preto, mesmo. Mas o mais tentador é saber que 19 singles do Iron, correspondentes a esses LPs, também vão ser relançados em vinil,, no formato de compactos de 7 polegadas. São edições limitadas e certamente vão evaporar.  Veja o calendário dos (re)lançamentos lá fora.

Os 3 primeiros LPs voltam às lojas em 13 de outubro na Inglaterra (no dia seguinte nos EUA):

e os singles:

  • Running Free / Burning Ambition
  • Sanctuary / Drifter (Live) + I’ve Got The Fire (Live)
  • Women In Uniform / Invasion
  • Twilight Zone / Wrathchild
  • Purgatory /Genghis Khan
  • Run To The Hills /Total Eclipse
  • The Number Of The Beast / Remember Tomorrow (Live)

Continuar lendo “Iron Maiden relança clássicos em vinil: os oito primeiros álbuns e 19 compactos da Donzela de Ferro.”

Maiden Sampa! Showzão do Iron em São Paulo, 20/09/2013.

Janick Gers, um dos três guitarristas do Iron. E 'figura'!
Janick Gers, um dos três guitarristas do Iron. E ‘figura’!

Quando as 85 mil pessoas que lotarem o Rock in Rio amanhã ouvirem “Doctor Doctor”, clássico da banda UFO, no sistema de som, podem se preparar. É a senha: vai começar o novo show do Iron Maiden, Maiden England,  que finalmente estreou no Brasil ontem à noite, em São Paulo. O épico álbum “Seventh Son of a Seventh Son” foi o segundo de estúdio do Iron depois da passagem pelo primeiro Rock in Rio, no verão de 1985, mas sua turnê não chegou aqui. Aliás, depois da gigantesca World Slavery Tour, o Iron só voltaria ao Brasil na turnê do “Fear of the Dark”, em 1992. Portanto, d e m o r o u pra chegar essa turnê Maiden England, que reproduz parte do cenário da 7th Tour of a 7th Tour e tem umas cinco músicas do discão “Seventh Son”.

O show da Arena Anhembi começou com duas canções desse disco. A faixa 1, “Moonchild”, era também a abertura daquela turnê, agora lembrada. Funciona. Sabe aquele corinho, que reúne amigos e fãs privilegiados no palco dos shows do Maiden para cantar “Heaven Can Wait”? Pois é, nesse show não tem. Mas na segunda música, “Can I Play With Madness”, é a Arena Anhembi toda que participa do coro e canta o tempo todo. Pudera: foi um dos singles e clips do “Seventh Son”.

Can I Play With Madness? Sucesso de público.
Can I Play With Madness”. Sucesso de público.

Cenas de um seriado inglês antecipam “The Prisoner”, dos tempos do “Number“. Não costuma rolar muito nas turnês do Iron. A galera se amarra…
E ainda mais em “2 Minutes to Midnight”, uma das favoritas da era “Powerslave”, um dos três ou quatro melhores discos da banda.
Bruce Dickinson (dando banho de loja, vocal e animação) anuncia “Afraid to Shoot Strangers”. O público do Iron se amarra em cantarolar a melodia de músicas como essa, da era “Fear of the Dark”.
Um sucesso da discão”Piece of Mind” não pode faltar: “The Trooper”!

The Trooper!!!!
The Trooper!!!!

666, The Number of the Beast… O som que catapultou o Maiden para muito além das fronteiras do metal vem acompanhado por produção de palco incrementada, que aliás foi um dos destaques do show. É hit atrás de hit, mas o visual conta muito. É sempre espetacular.

Cartaz da turnê mundial

Uma rifferama clássica do primeiro disco do Iron dá as caras nessa turnê: “Phantom of the Opera“. Bruce Bruce não perde a chance de mostrar seu lado teatral.
Na sequência, outro super hit do “Number”: “Run to the Hills“. Popular.
Sou daqueles que acham que o solo de guitarra tem vida, tem melodia, faz parte da música. O Maiden ataca com três: Dave Murray, Adrian Smith e Janick Gers. Heróis.
É de Adrian a letra emotiva de “Wasted Years”, da era “Somewhere in Time“. Muito boa. Pena que o som da guitarra dele não estava chegando direito aonde eu estava.
Steve Harris sempre entra no gramado, digo, palco, com referências ao seu querido West Ham United. Adesivo no baixo, munhequeira nas cores do time “claret e blue”, E agora, a correia do baixo parece mais um cachecol dos Hammers! O baixista mais rápido do oeste, digo, do leste de Londres é meio tímido para dar entrevista, mas no palco é sem dúvida o capitão do time, um Bobby Moore do metal, agitando seu baixo sem parar, fazendo backing vocals até sem microfone. Ídolo.
E o batera Nicko McBrain? Campeão do concurso Mister Simpatia!
Onipresente, a Eddie aparece em todos o cantos, várias vezes, de tudo quanto é jeito. Como na épica “Seventh Son of a Seventh Son”, que salvo engano do blogueiro, foi apresentada ao vivo pela primeira vez no Brasil. É sensacional. Dessa época, vem “The Clairvoyant”, também bem recebida pelo povo.
Agora, “Fear of the Dark” é brincadeira. Ela é adorada no Brasil. Tocou muito no rádio, na TV… os fãs reproduzem cada melodia, cada verso. Ponto alto.
A primeira parte do show de 2 horas termina com o marca registrada, “Iron Maiden”! Sempre querida.
Notei que o som melhorou muito, mas muito mesmo, no bis. Ficou perto de 90%. Ainda bem, porque a versão de “Aces High” foi animal!
O fã-clube também canta “The Evil That Men Do”, outra da era “7th”,
E o grande show termina com  o clima de jam de “Running Free“, veja bem, o primeiro single do Iron! Pena que acabou.
E todo mundo vai embora cantarolando “Always Look on the Bright Side of Life”!
Próxima parada: Rock in Rio! \m/

  • Dentro do post, um pequeno slideshow com algumas das muitas faces de Eddie!

Continuar lendo “Maiden Sampa! Showzão do Iron em São Paulo, 20/09/2013.”

Oito clássicos do metal em picture disc!


Já viu um picture disc? É um LP com arte impressa no próprio vinil. Maneiríssimo. E o Iron Maiden vai relançar lá fora a partir de outubro os seus oito primeiros álbuns inteiros em vinil picture disc, a saber:

Continuar lendo “Oito clássicos do metal em picture disc!”

En Vivo!


O vídeo do concerto do Iron Maiden em Santiago, na turnê anterior do sexteto (The Final Frontier World Tour), está em cartaz nos canais HBO (nesta segunda-feira, 3 de setembro, passa às 22h, no HBO HD). O show foi lançado num DVD duplo, “En Vivo!”, que tem como um dos extras o documentário “Behind the Beast” – também em cartaz no canal pago, separadamente (se é assinante ou tem um televizinho amigo, confira aqui o melhor dia).

A Donzela atrás da cortina de Ferro

behindthecurtainCinco anos antes da derrubada do muro de Berlim e do colapso dos regimes comunistas do Leste Europeu, em 1984, os papas do heavy metal britânico abriram em países da Cortina de Ferro a gigantesca World Slavery Tour, excursão do discaço “Powerslave” (que embalaria a 1ª vinda do Iron Maiden ao Brasil, em janeiro de 85, no Rock in Rio I). Behind the Iron Curtain é um doc sobre o rolê da “Donzela de Ferro” pela Polônia e Hungria (o quinteto passou ainda pelas então chamadas Tchecoslováquia e Iugoslávia). Lançado em VHS (!) em abril de 85, rodou direto em sessões de vídeo lotadas de maidenmaníacos brasileiros. Continuar lendo “A Donzela atrás da cortina de Ferro”

“Six, six, six… The Number of the Beast”… 30 anos do single que catapultou o Iron Maiden!

number-copia

“666, the number of the beast, hell and fire…”
A banda liderada por Steve Harris ganhou fama de satanista por causa das capas do discão de 1982 e do seu grande hit, The Number of the Beast. Continuar lendo ““Six, six, six… The Number of the Beast”… 30 anos do single que catapultou o Iron Maiden!”