Série Rotações: Los Sebosos Postizos vão tocar “A Tábua de Esmeralda”, clássico do Ben.

FOTO Pio Figueroa | Divulgação
FOTO Pio Figueroa | Divulgação

Presente de Natal para o concert-goer que estiver em Sampa entre 18 e 21 de dezembro (e tiver a sorte de conseguir comprar ingresso). Quatro discões de 1974 vão ser recriados em shows da série Rotações, com curadoria da Radiola Urbana, no Sesc Santana. Um tributo ao disco de estreia do grande sambista fundador da Verde e Rosa, a um clássico da MPB, a primeira viagem solo de um ex-mutante e um cultuado discão do sambalanço.

  • 18/12Emicida interpreta “Cartola” (Cartola), às 21h
  • 19/12Luciana Alves e Marco Pereira Trio interpretam “Elis & Tom” (Elis Regina e Tom Jobim), às 21h
  • 20/12O Terno interpreta “Lóki?” (Arnaldo Baptista), às 21h
  • 21/12 Los Sebosos Postizos interpretam “A Tábua de Esmeralda” (Jorge Ben), às 18h

    Ingressos: R$ 40 (inteira), R$ 20 (meia), R$ 8 (comerciário)

    Sesc Santana – Av. Luiz Dumont Villares, 579, (11) 2971-8700

    www.sescsp.org.br/sesc

Anúncios

Picassos Falsos | Supercarioca, 25 anos.

“A Suderj informa”…

Picassos Falsos FOTO Felipe Diniz
Picassos Falsos FOTO Felipe Diniz

Estreou neste fim de semana o rock doc sobre os 25 anos do segundo disco da banda carioca Picassos Falsos,  Supercarioca”, de 1988, um disco “cult”, para usar uma palavra bem anos 80. Sua mistura de rock + funk + ritmos brasileiros, como samba,afoxé, maracatu, baião etc pode não ter vendido muito, mas influenciou geral. Para o documentário “Supercarioca – 25 anos”, coprodução da gravadora Deck com o Canal Brasil, com direção de Otavio Sousa, o vocalista Humberto Effe, o guitarrista Gustavo Corsi, o baixista Romanholli e o batera Abílio Rodrigues entraram no estúdio Tambor e regravaram todas as canções do álbum. O material pode ser curtido no documentário, entre um depoimento e outro, e em breve será lançado em versão digital pela Deck (clique aqui para acompanhar). O disco original foi lançado pelo selo Plug (da multinacional BMG), que lançava bandas brasileiras.

O Canal Brasil passa “Supercarioca – 25 anos” de novo neste domingo, das 15h às 16h20.

Veja o trailer aqui. Continuar lendo “Picassos Falsos | Supercarioca, 25 anos.”

Moraes Moreira, Sesc Ipiranga, 23/04/2014.

DSC03947Foi uma superquarta para Moraes Moreira e sua animada banda (Jorginho Gomes na bateria; Meninão no acordeon; Marcos Moletta nas guitarras; Jô Reis na percussão e Augusto no baixo). Eles deram dois shows, um às quatro da tarde e outro às nove da noite, que a Coluna teve o prazer de acompanhar. Uma hora e meia de show, hein?

Saca só o setlist (aproximado)

Deu pra perceber que o ginásio do Sesc Ipiranga viveu momentos de carnaval em pleno outono, não? Um belo show, alto astral, pra cima, com o melhor de “Acabou Chorare”, discão dos Novos Baianos, sons do ótimo disco “A Revolta dos Ritmos”, de 2012, e clássicos, muitos clássicos da música popular baiana e brasileira, alguns que fizeram sucesso nas vozes de Gal Costa e Pepeu Gomes.

Maneiríssima esta guitarrinha baiana à lá “Flying V” do Marcos Moletta…

 

DSC03948
Marcos Moletta: guitarras

Continuar lendo “Moraes Moreira, Sesc Ipiranga, 23/04/2014.”

Chega de Saudade. Trio Jobim e Ron Carter, Sesc Pompeia, São Paulo, 11/04/2014.

Ron Carter no Sesc
Ron Carter no Sesc

Nem bem passou o  furacão Lollapalooza, o fim de semana começou muito bem, mas ao som de jazz e bossa nova. O contrabaixista do quinteto de Miles Davis nos anos 60, Ron Carter, se apresentou nesta semana no Brasil ao lado do Trio Jobim. Paulo Jobim (voz e violão), Alfredo Cardim (piano) e Paulo Braga (bateria). A Coluna teve o prazer de assistir ao segundo show no teatro do Sesc Pompeia, na sexta-feira.

Trio Jobim e Ron Carter
Ron Carter com o trio: Alfredo Cardim, Paulo Braga e Paulo Jobim.

Ron Carter gravou alguns discos (“Wave”, “Stone Flower”, “Urubu”) com o pai de Paulo, Tom Jobim, o homenageado da noite. Em dezembro, faz 20 anos da morte do maestro.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Músicas desses discos, como “The Red Blouse”, “Wave” e composições de Ron Carter (como “Ah, Rio” e “Saudade”) brilharam no repertório. O show começou com “Surfboard” (de Tom) e no finalzinho teve “Chega de Saudade” (parceria de Tom e Vinicius), marco zero da bossa nova. Ron Carter também fez um solo de baixo. No trio, destaque especial para o baterista Paulo Braga, que acompanhou Tom Jobim por muitos anos.DSC03824 Continuar lendo “Chega de Saudade. Trio Jobim e Ron Carter, Sesc Pompeia, São Paulo, 11/04/2014.”

Dica de DVD: “Phono 73 – O Canto de um Povo”

image

Um dos capítulos do livro “1973 – O Ano que Reiventou a MPB” (leia o post anterior) é dedicado ao Phono 73, um festival produzido pela gravadora Phonogram (hoje Universal Music), só com artistas do fabuloso elenco dessa companhia, que tinha os selos Philips e Polydor: Jorge Ben, Toquinho e Vinicius, Elis, Raul, Gil, Chico, Caetano, Gal, Bethânia etc etc etc. Os anos eram de chumbo, de censura. Mas a MPB vivia um de seus melhores e mais criativos anos.

3180120Foram quatro noites de shows, entre 10 e 13 de maio de 1973, no Palácio das Convenções do Anhembi, em São Paulo. Os shows foram gravados, ainda em 1973 saíram em 3 LPs, com o título “Phono 73 – O Canto de um Povo“, relançados em 3 CDs em 1997. Em 2005, a Universal Music lançou uma edição especial que tem como #must um DVD, com material inédito filmado (sim, filmado, em 35 mm, com seis câmeras Arriflex, de cinema, sob direção de Guga de Oliveira). São apenas 35 minutos, nem sempre a sincronia entre som e imagem existe, poucas músicas estão inteiras, mas a importância desse material é gigante. É ouro puro. Tem um belo encarte bem informativo e os 3 CDs, remixados, viraram dois, sem cortar músicas. Cortar? Ooops.

Pra começar, Jorge Ben Jor, então só Jorge Ben, monstro ao violão. O ponta de lança do samba-rock toca “Caramba!”, “Galileu da Galileia”, “Que Nega è Essa?”, “De Manhã” e “Mas Que Nada”. E passa rapidinho. Que pena, que pena.

Toquinho cabeludo e Vinicius de copo de whisky na mão cantam “Meu Pai Oxalá”.

O furacão Elis Regina canta “Cabaré” em clima de tango, depois de receber vaias
Continuar lendo “Dica de DVD: “Phono 73 – O Canto de um Povo””

Voa canarinho, voa: “Povo Feliz” / “Pagode da Seleção”, com Junior

1899894_521134994674531_571603531_n
Capinha de “Povo Feliz” / “Pagode da Seleção”: o compacto best-seller de Junior, ex-lateral do Flamengo e da Seleção

Não é mole, não, não é mole, não. Junior, o ex-lateral campeão de tudo pelo Flamengo, hoje comentarista, vendeu mais de meio milhão de compactos, quando gravou o samba que se tornou a trilha perfeita da mágica seleção de Telê Santana na Copa de 1982. Um escrete que não ganhou a Copa, mas conquistou o mundo. “Povo Feliz”, de Memeco e Nonô, gravada pelo Junior antes do Mundial de 82, é a melô do “Voa canarinho, voa”. Junior é um dos convidados da mesa-redonda que abre a “Futebol no País da Música”, série de shows inspirada pelo livro do jornalista Beto Xavier, também presente no debate desta sexta-feira, 7 de fevereiro, a partir de 21 no CCBB do Rio (saiba mais no post anterior).
Continuar lendo “Voa canarinho, voa: “Povo Feliz” / “Pagode da Seleção”, com Junior”

Banda Bate Bola

Coluna de Música | Fut Pop Clube

Saiu em 2013 o CD da Banda Bate Bola, uma seleção de dez músicas da MPB boleira, a música popular que canta o futebol. Espero que seja só o primeiro da banda formada por Afonso Machado (bandolim, arranjos instrumentais), Ruy Faria (ex-MPB-4, voz e arranjos vocais), Tiago Machado (filho de Afonso; violão, cavaquinho, arranjos instrumentais) e Chico Faria (arranjos vocais; é filho de Ruy e da Cynara, do Quarteto em Cy, outro grupo vocal que gravou um belo disco com canções de Chico Buarque). A BBB (Banda Bate Bola, no caso) conta ainda com Diego Zangado na bateria e João Faria no baixo (no CD, Pretinho da Serrinha toca percussão).

http://www.ruyfaria.com/banda-bate-bola/
http://www.ruyfaria.com/banda-bate-bola/
  • E a Banda Bate Bola é uma das atrações da série de shows inspirada pelo livro do Beto Xavier, “Futebol no País da Música”, durante três fins de semana de fevereiro, no Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio. A Banda Bate Bola vai tocar no segundo fim de semana da série, 14 e 15 de fevereiro, 21h, numa noite que ainda terá Kleiton & Kledir, na tenda externa do CCBB carioca. Ingressos a 10 reais (5 a meia).

Já que canções que falam de futebol são uma das paixões da Coluna de Música e do Fut Pop Clube, vamos fazer um faixa a faixa do CD Banda Bate Bola. Continuar lendo “Banda Bate Bola”