Monsters of Rock | Aerosmith, São Paulo, 20/10/2013

DSC03186 (2)Quem programou para 23h de domingo o show de uma banda com “poucos” hits como o Aerosmith realmente não precisa acordar cedo no dia seguinte. Quem é fã fez de tudo para não arredar o pé da Arena Anhembi até o último agudo de Steven Tyler. E não se arrependeu.
DSC03097 (2)Perdi a conta de quantos shows do Aerosmith já vi. Mas o desta Global Warming World Tour, que encerrou o festival Monsters of Rock 2013 foi um dos melhores. Uma pena que sem o baixista Tom Hamilton, substituído por David Hull (Joe Perry Project) – problemas de saúde.
O som estava bem alto. Tinha o volume que faltou ao show do Iron Maiden, um mês atrás. A passarela que entrava na área do público ajudou. A maior banda de hard rock de sótão do mundo ficou mais perto dos fãs. Tyler, Joe Perry e por uma vez Brad Whitford deitaram e rolaram por ali. Depois de “Back in the Saddle”, dos 70, tome hit: “Love in a Elevator”, “Toys in the Attic”, a mais recente “Oh Yeah” (acompanhada por umas quadrinizações dos Aeros no telão), “Pink” e “Dude (Looks Like a Lady)”. Joe “Fuckin´” Perry dá aula de slide guitar em “Rag Doll”.
Impressionante como aos 65 anos, o Steven Tyler ainda canta muito. E agita quase tanto como da primeira vez que eu vi, no anos 90.  Depois de “Cryin´”, é a vez de Brad Whitford comandar a guitarra de “Last Child”.DSC03136 (2)

Mais sucesso – “Jaded” – e um momento Joe Perry, com “Boogie Man” e “Comemoration”.

DSC03145 (2)Enquanto isso, Tyler dá uma força na bateria de Joey Kramer.

Uma mãozinha pro batera...
Uma mãozinha pro batera…

“Eat the Rich” vem com a rifferama de “Wholle Lotta Love”, do Led.

Tinha muita molecada, adolescentes e jovens fãs renovando a audiência desses setentões. E eles cantaram canções como “What It Takes” de cabo a rabo. Em seguida, curtiram uma espetacular versão de “Livin´ On The Edge” e a baladinha-chiclete “I Don´t Wanna Miss a Thing”.

Um bloco de músicas que o Aerosmith gravou nos 70: “No More No More”, a cover de “Come Together” e “Walk This Way” (com citação de “Mother Popcorn” -Tyler incorpora James Brown e manda ver). Uma linda morena subiu no palco, dançou alguns passos de “Walk This Way” e trocou carinho com Tyler.

O bis foi  a p o t e ó t i c o.  Piano na passarela e … “Dream On”. Para alegria de quem estava mais atrás, Tyler e Perry subiram no piano.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O baixo de David Hull e o talk box de Perry dão a largada para outro clássico, “Sweet Emotion”. Que farra!

DSC03251 (2)Depois de duas horas de clássicos da melhor banda de hard rock, a gente começa feliz da vida a volta pra casa. Pronto para outra, Aerosmith.

Comentei no Twitter:

Ao que respondeu o baterista Vlad Rocha, amigo da Coluna.

É Vlad, algo que o Run DMC percebeu, ao resgatar “Walk This Way”. E o Joey Kramer, o que achou do show?


Quem quiser ver seu comentário e/ou foto do show do Aerosmith aqui neste post pode escrever para @FutPopClube ou @BlogsDoJRLima no Twitter.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Um comentário sobre “Monsters of Rock | Aerosmith, São Paulo, 20/10/2013

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s