Buddy Guy | “Slippin´ In”, discão de 1994

Publicado em 2009 no FutPopClube

Buddy Guy: CD Slippin´In
Buddy Guy: CD Slippin´In (1994)

No terceiro disco de Buddy Guy para a Silvertone, o negócio é blues, mesmo. Diferentemente dos dois anteriores, já comentados aqui no blog, não rolam clássicos do soul e R&B e foram convidados menos astros pra festa. Slippin´ In é um CD altamente recomendado para quem gosta do blues com pegada rock do inesquecível Stevie Ray Vaughan. Por sinal, a cozinha rítmica que acompanhava o grande SRV empresta seus serviços para Buddy em metade do disco. Tommy Shannon, baixo, e Chris Layton, bateria, formavam o Double Trouble. A banda que acompanha Buddy na outra metade do disco não fica atrás. O que acha de um batera creditado como Ray “Killer” Allison? Lembro-me de ter visto shows de Buddy no Brasil com Ray Killer na batera. E ele realmente arrebentava. Arrebentava porque segundo sua página no MySpace, Ray Killer virou frontman. Trocou baquetas pela frente do palco: guitarra e voz. A produção de Slippin´In ficou a cargo de Eddie Kramer, engenheiro de som de Hendrix. Como esse é um discão, resolvi comentar faixa a faixa.

São 11 blues:

  • I Smell Trouble – blues lentão que já começa com solo de guitarra
  • Please Don´t Drive Me Away – ouça até o final para não perder o primeiro ataque de guitarra citado no título do texto. E uma citação de Voodoo Chile, do Jimi Hendrix – aliás, regravada e tocada ao vivo por S.R.Vaughan.
  • 7-11. Balada blues com destaque para o piano de Johnnie Johnson, bluesman que teve discos lançados no Brasil.
  • Shame, Shame, Shame, blues cadenciado de Jimmy Reed. Buddy brinca com seu pedal wah-wah.
  • Love Her with a Feeling. Um riff quase igual ao de Hoochie Coochie Man, clássico do blues. Buddy com o demônio no corpo de sua Fender Stratocaster preta de bolinha branca.
  • Little-Dab-A-Doo – balada da lavra do próprio Buddy. Seria ele um fã dos Flinstones?
  • Someone Else is Steppin´In (Slippin´ out, Slippin´ in). Esta conversa já arrancou risadas e fez sucesso em shows no Brasil. Um blues de ritmo bem marcado.
  • Trouble Blues. Um blues praticamente acústico.
  • Man of Many Words. Um baita blues rock com guitarra slide e órgão que também recomendaria a um fã de Deep Purple ou Black Crowes, por exemplo. Mais um ataque de guitarra de Buddy.
  • Don´t Tell Me About The Blues – blues mais tranquilo.
  • Cities Need Help – mais uma balada bluesy pra fechar a sessão.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s