Anthrax, São Paulo, 27/04/2012. Bang your head!

*****. É o número de estrelas do show do Anthrax, numa sexta-feira véspera de feriadão em São Paulo. E lembrando o apelido com que o locutor Osmar Santos se referia ao atacante Edmundo, foi um show animal. O quinteto de Nova York fez um “greatest hits” dos cerca de 30 anos de speed / thrash metal, com poucas, boas e pesadas músicas do novo disco. Do “Worship Music”, gostei especialmente do climão, do riff, do peso, da cadência da sabbathica “In the End” – homenagem a Ronnie James Dio.

Foi muito bom ouvir ao vivo “Deathrider”, do primeiro disco, “Fistfull of Metal“, o dessa capinha meiga ao lado, um arrasa-quarteirão que Scott Ian apresentou como a definição do thrash metal. “Metal Thrasing Mad” era (ansiosamente) esperada. Porém, faltou “Panic”. Tudo bem…

Não esperava encontrar  o som de “Medusa”, do “Spreading the Disease“. Valeu! O Misfits, que tocou antes  (e às 22h30 já tinha acabado), o Anthrax e os fãs das duas bandas transformaram o lotado HSBC Brasil numa “Madhouse”, single do mesmo disco. E também numa sauna. Só lamento as pessoas que passam empurrando na maior cara de pau para chegar logo à frente.Sem noção!

Gosto dos outros vocalistas do Anthrax também, mas acho que a voz mais ‘heavy metal melódico’ de Joey Belladonna proporciona um contraste interessante ao peso das guitarras do Anthrax, que produzem alguns dos riffs mais maneiros da história. Como “Caught in a Mosh”, do “Among the Living“, também representado por “Indians”, pela faixa-título e sua “war dance” e a “I am the Law”, a saideira.

No ótimo setlist, três covers: duas que já se consagraram no repertório do Anthrax e uma homenagem à maior banda brasileira de metal. Começando com “Antisocial”, do grupo francês Trust, regravada no disco “State of Euphoria”, com direito a corinho “ôôô” e tudo.

A sensacional “Got the Time”, de Joe Jackson voa, passa rapidinho, um bom respiro no meio das músicas mais longas do ´Thrax (essa cover era um dos destaques do “Persistence of Time”). Já no bis, uma ótima surpresa: “Refuse/Resist”, do Sepultura, cantada com entusiasmo de Cavalera pelo guitarrista Scott Ian. Além de tocar essas 3 versões, o Anthrax mandou uma citação do Judas Priest e fez homenagens a Ronnie James Dio.
Também no bis, “I´m the Man”, um dos sons pioneiros na mistureba de metal pesado e hip hop.
Um show para balançar o pescoço e todo o esqueleto. Muito bom, mesmo.
De negativo, o som embolado e a divisão da pista em VIP e área comum, medida que elitiza o rock e esfria a participação da galera. Até a próxima.


2 comentários sobre “Anthrax, São Paulo, 27/04/2012. Bang your head!

  1. O portal Terra publicou um setlist:
    Earth on Hell
    Fight ´Em Till You Can´t
    Caught in a Mosh
    Antisocial
    I´m Alive
    Indians
    In the End
    Got the Time
    Deathrider
    Medusa
    (Among the Living aqui, certo?)
    Madhouse
    Metal Thrashing Mad
    I´m the Man
    Refuse/Resist
    I am the Law

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s