Iron Maiden | Piece of Mind

pieceofmind1 O que o capitão do time do heavy metal tem em comum com o homem-gol do samba rock? A paixão pelo futebol. Como Jorge Benjor, que chegou a jogar nas divisões de base do Flamengo, o baixista Steve Harris, do Iron Maiden, atuou nos  juvenis do West Ham, clube da ZL de Londres que teve três jogadores na seleção inglesa campeã do mundo, em 66 (o capitão Bobby Moore, o meia Peters e o atacante Hurst). O W.Ham também revelou Lampard (hoje Chelsea) e teve Carlos Tévez por um semestre (antes de repassá-lo ao ManUtd), mas no Brasil é mais conhecido mesmo pela ligação com o ilustre torcedor. Steve Harris queria ser jogador profissional, mas trocou as chuteiras pelo baixo. E hoje, neste 12 de março em que completa 53 anos anos, começa por Manaus a parte brasileira da turnê Somewhere Back in Time. Pelo menos um som que pode aparecer no setlist vem do quarto álbum do Maiden, Piece of Mind, outro discão.

thetrooperÉ The Trooper, segundo e fortíssimo single tirado do Piece (20/06/83). No lado B, o compacto saiu com uma pesada versão de Cross-Eyed Mary, do Jethro Tull (um dos grupos preferidos de Harris). The Trooper é um clássico da banda. Nem precisava de uma turnê voltada para os sucessos das antigas para ter espaço no repertório. Ganhou clip de alta quilometragem nos canais e programas de música na TV, assim como o compato anterior, Flight of Icarus flighticarus-copia(11/04/83). Essa composição, de Bruce e de Adrian Smith, também chamou a atenção, pelos vocais bem cuidados, guitarras metralhando solos – primeiro Murray, depois Adrian, depois Murray de novo: sensacional! Alta produção de Martin Birch. Pena que não deve rolar agora no Brasil. No lado B do single Flight of Icarus, outra cover, I´ve Got the Fire, do Montrose, que já tinha sido regravada pelo Iron em 80 com Paul Di´Anno no microfone.

Esses dois populares sons ajudaram Piece of Mind a atingir o 3º lugar na parada inglesa.  LP/CD que marcou a estreia de Nicko McBrain na bateria. E ele abre o disco mostrando serviço no ritmo enlouquecido/enlouquecedor de Where Eagles Dare. Outros grandes destaques do disco: Revelations, de Bruce, Die With Your Boots On, Still Life e To Tame a Land, quase um metal progressivo. Piece of Mind ajudou a estabelecer aquela parede sonora que foi marca registrada da Donzela de Ferro por mais alguns discos. Muito peso, às vezes num andamento mais lento, às vezes à toda velocidade, como um trem-bala. É por isso que neste post sobre Piece of Mind eu insiro a tag DISCÃO. Valeu!

INTERAÇÃO: qual é a melhor composição do aniversariante do dia, Steve Harris? Essa é difícil, hein?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s