“Da Lama ao Caos”. 20 anos do discão de Chico Science & Nação Zumbi.

9 de abril de 1994.
O selo Chaos, da Sony Music, lançava um disco que pode não ter vendido tanto assim, mas marcou época na cena brasileira.
chico science
O #discão “Da Lama ao Caos”, estreia de Chico Science e Nação Zumbi, foi o sonoro manifesto de lançamento do mangue bit (ou mangue beat). 13 músicas muito boas, que são curtidas até hoje nos shows da Nação, como o do último sábado, no palco Interlagos do Lollapalooza Brasil 2014.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Foi um maracatu (atômico) de tiro certeiro. Continuar lendo

Este maracatu pesa uma tonelada. Nação Zumbi, Lollapalooza Brasil, Palco Interlagos, 05/04/2014.

 

FOTO Mila Maluhy / I Hate Flash

FOTO Mila Maluhy / I Hate Flash

A #bandaça pernambucana Nação Zumbi ganhou horário nobre e palco grande na programação do Lollapalooza Brasil 2014. E mandou muito bem, apesar de o som ter começado muito embolado e só ter melhorado sensivelmente lá pela metade desse showzão, quando a Nação já tinha tocado parte considerável de seus hits. Depois do show da Lorde no mesmo palco Interlagos, e na mesma hora do Nine Inch Nails, a Nação contou com um ótimo público. E ao mesmo tempo, não estava desconfortável, dava para circular e dançar.  E essa galera vibrou muito com as músicas do discão “Da Lama ao Caos”, que está comemorado 20 anos, mas não curtiu só essa parte do repertório, não.

13674032434_d3090cf2d7_z

Jorge Du Peixe. FOTO Mila Maluhy | I HATE FLASH

A Nação mandou músicas como “Fome de Tudo”, “Hoje, Amanhã e Depois”, o novo single “Cicatriz“, “Rios, Pontes e Overdrives”, “A Cidade” (ambas do primeiro disco com Chico Science), outra inédita, “Defeito Perfeito” (anunciada como o encontro de Tim Maia e Nelson Rodrigues), “Manguetown” (outro clássico de “Da Lama ao Caos”, sempre muito bem recebida pelo povo), “Blunt of Judah”, “Meu Maracatu Pesa uma Tonelada” e  “Da Lama ao Caos”. Um show muito excelente!

O disco novo, “Nação Zumbi”, sai em maio pela Som Livre.

Terminado o concerto de mangue bit, ainda deu para andar até o Palco Onix, lá onde Judas perdeu as botas, e conferir três músicas do Nine Inch Nails!

13674032464_b943e69593_z

Dengue: todo carisma. FOTO Mila Maluhy I HATE FLASH

13674032444_50ea689676_z

Lucio Maio: atitude e som de herói da guitarra. FOTO Mila Maluhy I HATE FLASH

Continuar lendo

Samba-rock atômico: Los Sebosos Postizos, São Paulo, 25/10/2013.


2013-10-26 02.03.221400208_571463432901204_1026443289_oPonta-de-lança pernambucano (junto com o Mundo Livre S/A) do mangue bit (ou mangue beat), o pessoal do Nação Zumbi tem um banda paralela, Los Sebosos Postizos, especializada em versões de balanços clássicos do homem-gol do samba-rock, Jorge Ben Jor. Já falei do disco Los Sebosos Postizos Interpretam Jorge Ben ()lançado pela DEck em CD e LP – vinil) aqui na Coluna. Na última sexta-feira deste outubro de grandes shows pude enfim assistir a banda ao vivo, no Centro Cultural Rio Verde, local interessante na Vila Madalena – a decoração da sala de shows lembra um pouco a arquitetura de Gaudí e a discotecagem costuma ser muito boa.

Os mangue boys da Nação, digo, Los Sebosos Postizos entraram no palco à meia noite e meia e só pararam de tocar umas 2h20 da madrugada. Pedro Baby ajudou numa das guitarras e Chiquinho, do Mombojó, nos teclados. Los Sebosos mandaram umas duas dezenas de clássicos benjorianos, uma das influência do mangue bit. O público bem jovem cantou e dançou pra valer com sucessos de discos dos anos 60 e 70, tipo:

A Nação de fãs do Ben ainda dá um jeitinho de inserir aqui ou acolá clássicos dos tempos de Chico Sciende, como o refrão de “Da Lama ao Caos” e “Manguetown”, a saideira, no bis, tocada inteira. Se Los Sebosos Postizos tocarem perto de você, não vacile. Aproveite. Até quem não gosta de Jorge Ben Jor pode curtir esse som. Confira o setlist aproximado dentro do post.

Continuar lendo

Super Peso Brasil: 9 de novembro, em Sampa.

  • 16h50 – show da banda Taurus
  • 17h40 – Centúrias
  • 18h30 – Metalmorphose
  • 19h20 – banda Salário Mínimo
  • 20h10 – Stress


Cinco pioneiros do metal pesado brasileiro vão tocar no Carioca Club, em São Paulo, em 9/11/13. Metalmorphose (RJ), Stress (PA), Centúrias (SP), Taurus (RJ) e Salário Mínimo (SP). O festival Super Peso Brasil vai ter ainda uma lista de convidados:  Jack Santiago (ex-Harppia), Vitor Rodrigues (Voodoopriest, ex-Torture Squad), Luiz Carlos Louzada (Vulcano), Lucky Luciano (X-Rated, ex-Metalmania) e André Góis (Desaster, ex-Vodu).

Você que curte metal nacional… vai ficar fora dessa? Continuar lendo

Metalmorphose: “Jamais Desista”.


Taí o novo video-clip oficial do Metalmorphose, para a música “Jamais Desista”, som que abre o #discão que o grupo carioca lançou no ano passado, “Máquina dos Sentidos” (já recomendado aqui na Coluna). O quinteto volta a São Paulo em novembro, para um autêntico festival de metal nacional. O Super Peso Brasil vai rolar em 9/11 no Carioca Club, com cinco bandas decanas do underground metálico brasileiro: Metalmorphose e Taurus (do Rio), Centúrias e Salário Mínimo (de Sampa) e os pioneiros do Stress (Pará) – mais convidados, como Lucky Luciano (fase ‘Metalmania’ do Robertinho de Recife, X-Rated).
Os shows começam cedo, hein? 17h.
O eclético Carioca Club fica na Cardeal Arcoverde, 2899, em Pinheiros (Metrô: estação Faria Lima – Linha 4 Amarela). Mais informações sobre o Super Peso Brasil neste link. Continuar lendo

Mundo Zumbi, Nação Livre

capa_caranguejos_03

Duas grandes bandas do Recife, de Pernambuco e do Brasil se “desafiam” no disco “Mundo Livre S/A vs Nação Zumbi”. Nesse formato, lançado pela gravadora Deck num disco com Raimundos e Ultraje, uma banda toca sete músicas da outra. Assim, o Mundo Livre S/A ataca de clássicos da era Chico Science como “A Cidade”, “Rios, Pontes e Overdrives”,”Etnia”,  “Samba Makossa” e “A Praieira”, também toca “No Olimpo”,  e a sensacional “Meu Maracatu Pesa Uma Tonelada”.
Do seu lado, a Nação Zumbi faz as versões Zumbi para as mundiais “Livre Iniciativa”, “Musa da Ilha Grande”, “Seu Suor É o Melhor De Você”, “Bolo de Ameixa”, “Girando em Torno do Sol”, “Pastilhas Coloridas” e “O Velho James Browse Já Dizia”. Imperdível!
Faltou “Meu Esquema” ! ? Melhor não, essa não precisa de versão, é ou não é, Rivaldo Maravilha?
A batalha musical “Mundo Livre S/A vs Nação Zumbi” tem lançamento previsto para 27 de agosto. Mas o disco virtual está em pré-venda e amostra no iTunes.
Ouça aqui o Mundo Livre tocando “A Cidade” – e acolá a Nação Zumbi mandando ver “Livre Iniciativa”, aquela melô do “Trabalho, trabalho…. samba esquema noise!” – primeiro hit mundial.

Mustache e os Apaches

Mustache e os Apaches, Baixo, São Paulo, agosto de 2013.

Mustache e os Apaches, Baixo, São Paulo, agosto de 2013.

Balada em dose dupla na região central de São Paulo neste sábado, por coincidência véspera de Gre-Nal 397! Depois do ótimo show da banda gaúcha Ultramen (ver post anterior) no Beco 203, fui até o bar Baixo para conhecer o som da banda Mustache e os Apaches - dica da jornalista Márcia Ribeiro. Os caras também são de Porto Alegre, mas estão radicados em São Paulo e já “passaram o chapéu” também pelo exterior. Trata-se de uma divertida banda de rua, influenciada pelas “jug bands” americanas. Axel Flag (vocal e percussão), Jack Rubens (bandolim e voz), Lumineiro  (voz e washboard, instrumento de percussão que parece uma tábua de lavar roupa metálica, muito usada por bandas americanas de zydeco, pregada no tronco), Pedro Pastoriz (vocal e banjo) e Tomas Oliveira (vocal e baixo) tocam blues, jazz, country e rock and roll da melhor qualidade, como o medley de “Just a Gigolo/I Ain´t Got Nobody”, standard da música americana, e “It´s All Over Now”, cover dos Valentinos que foi um dos primeiros singles dos Stones! Boa música e bom humor. Show recomendado. Voltaremos ao assunto.

Abaixo, você curte o clip oficial da música “Twang”, feito pela Amnésia Filmes. Estrelando Mustache e os Apaches e elenco.
Continuar lendo

Ultramen, Beco 203, São Paulo, 03/08/2013

Os ultramanos invadem São Paulo

Os ultramanos invadem São Paulo

253_FULL (1)Depois de dez anos de ausência de Sampa, a sensacional banda gaúcha Ultramen baixou na Augusta, centro nervoso da “night” paulistana. E fez um showzão “junta tribo”, capaz de agradar manos de quase tudo quanto é paladar musical… rap, reggae, samba-rock, soul, rock mais pesado. Os ultramanos tocaram quase todas do discão “Olelê”, um dos favoritos desta Coluna – acho que só faltaram “Bem Mal” e a cover de “Exodus”; já a de “Johnny”, de Tim Maia, compareceu em versão à capela” – e muito mais… “Bico de Luz”, “Alto e Distante”. “Erga Suas Mãos”, “Grama Verde”…

Estranho que o Ultramen não tenha feito mais sucesso nacionalmente – talvez a distância de POA para o ‘eixo Rio-SP’ explique, mas não justifique. Os refrões são pegajosos e têm melodia. Tonho Crocco canta realmente bem.  Guitarra e baixo tem peso e groove ao mesmo tempo. O DJ Anderson manda ver nos scratches, como no sampler de sucesso de Michael Jackson no meio de “Dívida”. Os percussionistas Malásia e Marcito dão show à parte quando fazem a função de MCs e comandam as rimas de raps como “Esse é o Meu Compromisso” e “Peleia” – esta, então, mobiliza toda a embaixada do Rio Grande do Sul presente no Beco 203 paulistano nesta noite de sábado. Chega a ser emocionante a comoção que as menções às tradições gaúchas desse som – um dos melhores do “Olelê” – provoca nos gremistas e colorados, conterrâneos do Ultramen. Por coincidência, na véspera do Gre-Nal 397, o primeiro na Arena do Grêmio.

Dentro do post, você curte o setlist e outras fotos desse showzão, que também teve como destaques petardos do “Olelê” como “Preserve” e “General”. Continuar lendo

Ultramen em São Paulo

253_FULL (1)
A excelente banda gaúcha Ultramen voltou aos palcos em 2013. E neste sábado, 3 de agosto, os ultramanos tocam baixam no Beco 203, na rua Augusta, 609, centro de São Paulo. Chance rara de curtir ao vivo a sensacional mistura de black music, rap, reggae, samba-rock, soul e som pesado do clássico “Olelê” e outros bons discos do Ultramen. Segundo o site do Beco, o show começa às 21h e o ingresso custa 40 reais na hora (30 com nome na lista).

No finzinho de maio, a Coluna de Música publicou fichinhas com o perfil de consumidor musical dos seguintes ultramanos, a saber:

Clique também: Continuar lendo

Décio 7, bateria, Bixiga 70

capa (2)Pouco antes de partir para uma excursão pela Europa, o pessoal do Bixiga 70 gentilmente preencheu algumas Fichinhas da Coluna. Neste post, os favoritos do baterista Décio 7.  Vale a pena conhecer mais sobre o músico.

Na bateria, Décio 7,

Na bateria, Décio 7

  • Um baterista:

Tony Allen

  • Outras influências:

Gilberto Gil,Estrela Brilhante do Recife, Racionais, Lee Perry, Pedro Santos e Baden Powell.

  • Disco de cabeceira:

‘Refavela’ [ > ouça aqui]Gil

  • Hit da semana:

‘You People’ – Black Truth Rhythm Band [> ouça aqui]

BTRB

  • Melhor show que já viu:

Curumin na Casa do Mancha.

  • Show que se arrepende de não ter visto:

‘Olho de Peixe’ – Marcos Suzano e Lenine num boteco da Vila Madalena.

instagram

  • Melhor banda de todos os tempos da última semana:

Nação Zumbi

  • Banda de coração:

The Wailers

  • Time do coração:

Parmera

escudo
Continuar lendo